domingo, 13 de abril de 2014

Semana Santa e Páscoa: vida e entrega de Jesus


DESTAQUE_SEMANA_SANTA_13_04_13
Tempo de preparação através de muita reflexão e oração para a Ressurreição de Jesus. A Semana Santa é um dos momentos mais importantes e significativos para a Igreja Católica, pois antecede a maior celebração: a Páscoa. “A Ressurreição do Senhor nos abre as portas da vida eterna, seu triunfo sobre a morte é a vitória definitiva sobre o pecado. Este feito tem no Domingo da Ressurreição, ou da Páscoa, a celebração mais importante de todo o ano litúrgico”, explica o Missionário Redentorista, padre Idemar Costa.
Neste ano, a Semana Santa segue de 13 a 20 de abril. Durante esse período serão relembrados os últimos dias da vida terrena de Jesus, sendo o principal a celebração de Sua Paixão, Morte e Ressurreição. O Missionário Redentorista esclarece que “a Semana Santa representa a época litúrgica mais importante do ano, visto que é a preparação imediata para a maior festa, a Ressurreição de Jesus, que é o ponto central de nossa fé”.
A Semana Santa tem início no Domingo de Ramos, que representa a entrada de Jesus na cidade de Jerusalém. O dia começa com uma procissão de fiéis cantando hinos  e carregando ramos. Ao chegar à igreja, celebra-se uma missa com a leitura de trechos bíblicos sobre o sacrifício de Jesus Cristo. Na Segunda, Terça e Quarta, a Igreja celebra com atenção profunda o mistério da Paixão do Senhor. A liturgia desses dias apresenta Cristo como servo sofredor, que se oferece livremente como sacrifício para entrar na glória do Pai. A liturgia segue, passo a passo, os últimos acontecimentos da vida terrena de Jesus, levando-nos a descobrir vitalmente a unidade do mistério do sofrimento e glorificação do Senhor.
O Tríduo Pascal tem início na tarde da Quinta-feira Santa, quando ocorre a celebração da Ceia do Senhor como menção à última ceia entre Jesus Cristo e seus discípulos, antes da crucificação. Nesta ceia, Jesus institui o sacramento da Eucaristia, Seu corpo e Seu sangue. “E, ainda temos, nesta mesma celebração o memorial do serviço, conhecido por lava pés, em referência ao momento em que Jesus ensina a humildade aos discípulos”, lembra padre Idemar.
Na Sexta-feira da Paixão é solenizada a Morte de Jesus como gesto despretensioso  e abnegação de si mesmo. Durante o dia de sábado, guarda-se luto e dor, já na expectativa da vitória. Ainda no Sábado Santo se conclui o Tríduo Pascal com o centro na Vigília Pascal às vésperas do Domingo de Páscoa, quando acontece a grande festa da Ressurreição. “Neste Mistério Pascal, fato primordial da nossa fé, e centro de todas as celebrações litúrgicas, está implícito que a vida venceu o pecado e a morte, por isso celebremos com júbilo”, incentiva.
Exemplo de amor
Durante a Semana Santa, os cristãos, rememoram o infinito amor do Pai Eterno pela humanidade. Esse amor está na permissão que Ele deu ao Seu Filho único. Dentre outras coisas, Jesus aniquilou-se de sua condição divina para abraçar a pequenez e fragilidade humana por meio da encarnação. Assim, Ele percorreu os caminhos de uma vida simples e humilde, junto aos pobres e marginalizados, construindo com eles uma vida de amor, de identificação. Jesus convoca-os a viverem sob o reinado de Deus, perdoa os pecados, cura males físicos e espirituais, oferece vida.
“A Semana Santa traz todo este histórico da vida de Jesus e exige do cristão hoje um comprometimento com Ele e com Sua proposta de vida. É preciso aprender com Ele esse caminho do amor, entrega abnegada. Para isso, o cristão deve viver sua vida pela causa do bem e da redenção. Não alimentando a ira, o desejo de vingança, rancores e ressentimentos”, afirma padre Idemar Costa.
O Mistério Pascal
O Tempo Pascal tem início no Sábado Santo com a Vigília Pascal e é celebrado durante as sete semanas seguintes até o dia de Pentecostes. Esse período é mais importante da Liturgia, pois é o quando a Igreja celebra a passagem de Cristo da morte para a vida eterna. É o momento em que culmina toda a força da fé em Jesus, que é exemplo a ser seguido por todos os cristãos. A contemplação do Mistério Pascal concretiza propósitos para viver como verdadeiros cristãos.
A Paixão, Morte e Ressurreição adquirem um sentido novo, profundo e transcendente, que permitirá aos cristãos vivenciarem a presença de Cristo Ressuscitado por toda a eternidade. Padre Idemar Costa explica que a Ressurreição de Jesus cria para os homens uma nova dimensão de ser, um novo âmbito da vida: “o estar com Deus”. Também significa que Deus manifestou-se verdadeiramente e que Cristo é o critério no qual o homem pode confiar.
“A Páscoa significa travessia, passagem. No contexto de Moisés, essa passagem significa sair da condição de escravo para ser povo livre. Na perspectiva de Jesus, que parece destruído pela morte, a Páscoa vai ganhar o sentido de vitória sobre o inimigo. Jesus, ao vencer as forças da morte, aniquila o pecado, fonte de todo mal. Isso alimenta nos cristãos, esperança de vida”, diz.
De acordo com o Missionário Redentorista, a palavra ressurreição tem origem do latim resurrectione e significa levantar-se ou erguer-se. “Jesus ressuscitou do mundo dos mortos e levantou-se no terceiro dia para proclamar a Boa Nova, a salvação dos homens de fé e boa vontade. São as primícias de um mundo novo, de uma nova situação do homem”, conclui.
Fonte: Afipe 

Um comentário:

  1. Ótimo post!!!
    Um bom Domingo de Ramos!
    http://botefeamor.blogspot.com.br/
    Abraços Fraternos

    ResponderExcluir

Escreva sua mensagem aqui!!!